segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Timão arranca empate e garante acesso à Série C

 
Com uma atuação pedagógica, aproveitando-se do ótimo placar que construiu no primeiro jogo, o River arrancou um empate na noite desta segunda-feira (19), dia do Piauí, dentro do Estádio Alvi-Azul, em Lajeado (RS), diante da Lajeadense, e conquistou a classificação para as semifinais da Série D do Campeonato Brasileiro e o consequente acesso para a Serie C de 2016.
 
Desde o início da partida que os comandados de Flávio Araújo jogaram com o regulamento, sabendo da grande vantagem que tinham - a de poder perder até por dois gols de diferença. O Lajeadense ainda marcou abriu a contagem, com Alan, chutando no canto direito do goleiro Naylson, mas levou uma ducha de água fria com o gol marcado por Fabinho, que completou uma bola vinda da direita e deixada inteligentemente por Eduardo.
 
Com o gol piauiense, o Lajeadense entrou em total rota de desmotivação. Até o apito final do árbitro carioca - que teve excelente atuação -, tanto River quanto Lajeadense tiveram oportunidade de marcar o segundo gol. Só a classificação piauiense é que não esteve mais ameaçada. Um dia histórico, com um resultado que jamais será esquecido pela torcida piauiense. Pela primeira vez, um time piauiense consegue o acesso para a divisão seguinte do Campeonato Brasileiro.
 
FICHA TÉCNICA
 
LAJEADENSE 1x1 RIVER (Campeonato Brasileiro de Futebol - Série D - Quartas-de-final - 2° jogo); Data; 19/10/2015 (segunda-feira à noite); Local: Estádio Alvi-Azul (em Lajeado - RS); Arbitragem: Bruno Arleu de Araújo, auxiliado por Andrea Izaura Maffra Marcelino de Sa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (todos do Rio de Janeiro).
 
Gols: Alan 22 do 1° tempo; Fabinho 17 do 2°.
 
Cartões amarelos: Basso, Giovani, Cleiton, Igor, Fábio Rosa (LAJ), Rafael Araújo e Fabinho (RIV).
 
Expulsão: Goiano, aos 23 do 2°, por dar um chute no adversário, Thiago Dias, fora da disputa de bola, após a marcação de falta contra sua equipe (cartão vermelho direto).
 
Lajeadense - Giovani; Igor, Laércio, Basso e Goiano; Fábio Rosa, Ederson, Vinicius e Alan (Lenilson); Ícaro (Cleiton) e Diego Torres (Ramón). Técnico: Luís Carlos Coelho Winck.
 
River - Naylson; Tote, Índio, Rafael Araújo e Jadson; Amarildo, Esquerdinha (Carlinhos), Rogério e Júnior Xuxa (Thiago Dias); Eduardo (Bruno Lopes) e Fabinho. Técnico: Flávio José Araújo.

4 comentários:

  1. VALEU! É A INDEPENDÊNCIA DO FUTEBOL PIAUIENSE, GENTE!!!! VALEU MEXXMO(prof.Luxa) MANO JD-BB!!!!

    ResponderExcluir
  2. Apenas uma crítica construtiva: quem é Timão? Acho que o River tem codinomes melhores para serem colocados na manchete.

    ResponderExcluir
  3. Nas décadas de 1970 e 1980 os jornais, pelo menos, sempre chamavam o Ríver de Timão creio por causa do timaço que formou com Sima, Derivaldo, Nivaldo, Meinha, Paulo Figueredo, Duílio entre outros tantos.

    ResponderExcluir